Os Correios

 

Subsídio para

a história dos correios

em Montargil

 

 

     Se o prefácio da história do correio começa há cerca de quatro mil anos com o desenvolvimento dos caracteres coneiformes e dos hieroglíficos, e o mesmo entra em Portugal em 1520, quando D. Manuel I, estando em Évora e nomeando Luís homem como primeiro Correio-Mor, que se deslocou a Flandres a fim de contactar a família taxis no sentido de ser elucidado sobre a organização dos serviços postais, em Montargil os correios terão mais de noventa anos, sendo que nos dizem ter havido um posto, que estava situado onde hoje existe, na Rua do Comércio, o nº42.

 

     Sabe-se, entretanto, que em 1758 não havia memória de que em tempo algum aqui houvesse Correio.”Algumas pessoas que mandam lançar cartas no correio, as mandam lançar no Correio da Vila de Avis, onde também mandam buscar as suas respostas; e as mandam buscar no dia de Quinta-Feira e lançar no dia de Sexta-Feira, pela manhã e dista desta vila quatro léguas”.

 

     A primeira estação existiu na então Rua do Norte (hoje Rua 25 de Abril), hoje demolida, e era num passado próximo a porta nº62, e era conhecida pela Casa da Inácia. A primeira funcionária terá sido D. Birrenta, substituída depois por D. Beatriz que por sua vez viria a ser substituída pela D. Ermelinda, em 1941. Esta mesma funcionária, passaria em 1944 para a nova estação a funcionar na então Rua Grande (hoje Rua do Comércio) no prédio com o nº75, senhora de saudosa memória pelo seu trato, e que viria ainda a inaugurar, em 1965, as actuais instalações.

 

     Ao que conseguimos saber, o correio era trazido inicialmente de Ponte de Sor por um estafeta de que ignoramos o nome, seguindo-se-lhe o senhor Manuel da Pontinha que igualmente fazia o trajecto de besta. O que aconteceria ainda durante seis anos com o senhor Manuel Carapau que durante vinte e quatro anos o fez de carroça. Era de semana, aos sábados e aos domingos. Não havia descanso disse-nos ele um dia. E antes que o mesmo chegasse até nós pelas vias actuais, ainda o senhor Urbano o fez de bicicleta.

 

     O primeiro carteiro foi o nosso conterrâneo Manuel Barrela, também exímio músico cá da banda da terra, então sob a regência de Manuel Alves do Carmo ( Bábau ) . Porque antes, as pessoas esperavam a chegada do correio, os nomes eram lidos em voz alta e ia sendo entregue aos que aguardando notícias ali apareciam. E regressavam, ou alegres (tantas vezes para que os outros lessem o que não sabiam), ou tristes por não terem recebido nada. O restante correio ficava na Estação e ia sendo levantado.

 

     Depois de Manuel Barrela veio o Chico Manassa que depois de prestar um trabalho eventual acabou por ficar ao serviço até debandar por terras do Brasil.

 

     Entram então ao serviço o António Marques e o António Fernandes para além de outros que eventualmente o têm feito.

 

     Como Chefe dos Serviços a D. Ermelinda viria a ser substituída pela D. Conceição.

 

     E aqui pára a pesquisa levada a efeito há anos já, sendo que a História dos Correios em Montargil estará ainda por completar. 

 

Lino Mendes

Pode seguir-nos em:

        

Contactos

Grupo de Promoção Sócio Cultural de Montargil Rua Luís de Camões
Apartado 2
Montargil
916603660 e 913477271 gpmontargil@gmail.com ranchodemontargil@gmail.com